Fogo Lento - Associação Cultural

A Fogo Lento nasce em 2019 e tem como missão a recuperação da prática artística como espaço de aprendizagem, através de uma relação física e sensorial com a realidade. Acreditamos que “a aventura de estar perto das coisas do que o mundo é feito” (Annie Albers, Black Mountain College), a relação com o corpo e os materiais, assim como o estudo de práticas artesanais, que estão na origem do trabalho criativo, desenvolvem a capacidade de análise e reflexão, a criatividade e a capacidade de resolução de problemas.

A associação propõe-se dinamizar actividades com foco na criação transdisciplinar e na mediação de públicos e procura desenvolver projectos, que não se foquem só no produto final, mas que criem caminhos de aprendizagem e reflexão, durante o processo de criação.

A igualdade de género e a sustentabilidade económica e ecológica das artes, são duas questões fundamentais na definição do plano de actividades da associação. Neste sentido preocupa-se em apoiar criações, que do ponto de vista temático, de composição da equipa ou de método de trabalho, tenham em consideração estas problemáticas.

Em 2019 ocupa-se da circulação do espectáculo "Fogo Lento" e do lançamento do livro homônimo de Raquel S. Prepara os espaços da associação (uma quinta em Pedroso, Vila Nova de Gaia) para acolher residências artísticas e actividades de formação.

Em 2020 foca-se na pesquisa e produção da performance "Exposição", da curta-metragem “Lapso”, co-criação de C. Givone e S. Arriscado (produção Teatro Municipal do Porto), no lançamento da Bolsa de Criação ESTRUME, e na concepção do projecto (Des)montar, que compreende actividades de formação, reflexão e residências artísticas.

ENG

Fogo Lento is a cultural association founded in 2019 to develop projects with a focus on transdisciplinary creation. Our mission is to recover artistic practice as a learning space, thanks to a physical and sensorial relationship with reality. We believe that “the adventure of being close to the things the world is made of” (Annie Albers, Black Mountain College), the relationship with body and materials, as well as the study of craft practices, which are at the origin of creative work, develop the capacity of analysis and reflection, creativity and the ability to solve problems. 

Gender equality and economic and ecological sustainability of arts are two fundamental issues when we define the association's activity plan. In this sense, we are concerned with supporting creations that, in the thematic, team composition or working method, take these issues into account. 

The association's spaces are located in a farm in V.N.Gaia, and we are working to turn them into a place where artistic creation, education and agriculture can be contaminated by each other. In 2021 we launched the first activity associated to our place: ESTRUME Creation Grant and we started the (Des)montar project, which includes performances, artistic residencies, workshops, meetings about artistic practices and the redaction of a book. 

The association has produced two performances that are now touring: "Fogo Lento" and "Exposição" and the short film "Lapso".